terça-feira, 8 de agosto de 2017

Acostumar


Acostumar




Acostumar.
A costa, o mar.
Encosta
no meu ombro e vê
o sol raiar.

Vamos nos deitar
à costa, ao mar

Acostumar.
Acosta, o mar
à costa.
A onda vem
te ver chegar.

Vamos nos deixar
acostumar.

Acostumar
à costa, ao mar.


Uma cançãozinha besta pra tocar na areia só com um violão e um nascer de sol. (e pq foi só o que rolou pra ao menos atualizar issaqui)
 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Mais palíndromos


Mais uns palíndromos (aqueles textos de podem ser lidos de trás pra frente da mesma maneira que na ordem normal). Esses não sei se chegam a ser narrativas.

Palíndromo #5
A dívida? A diva ávida a divida.

Palíndromo #6
Se divido tapas, o sapato divides.

Palíndromo #7
Ué? Tão raro orar o ateu.


terça-feira, 27 de junho de 2017

Microcontos em Palíndromo


Microconto em palíndromo #1
A Leca a viu, a Roana corre e vê. Nana leva ave lá na neve. Erro, cana. Ora uiva à cela.

Microconto em palíndromo #2
Paro ao vê-la. Ô, azar! Razão a levo ao rap.

Microconto em palíndromo #3
A Reeva? Ah, levo-a aos ossos sós. Só soa a ovelha, ave e rã.

Microconto em palíndromo #4
O cão! A dor é ao vale! Ela voa e roda o aço.


palíndromo: frase ou palavra que se pode ler, indiferentemente, da esquerda para a direita ou vice-versa.

terça-feira, 9 de maio de 2017

The first rain of autumn


The first rain of autumn



The first rain of autumn
in a wet gray monday.
Sadness and beauty compressed in tiny droplets.

So much held inside.

But every season has,
someday, to let go.

So a drop rolls over my window
as monday morning mourns
on the first day of autumn.

20/03/2017

segunda-feira, 17 de abril de 2017

The humming bird


The humming bird


A humming bird came through my open window.
It flew to every corner of the living room
and landed on the back of an old rocking chair.
There, it stood still.
But somehow it looked
impacient
unbalanced
and awkward.
The tiny talons moving nervously, uncertainly.
The keen eyes reflecting my own.
Then suddenly it took flight.
Raised to the ceiling, dived close the carpet
and zigzagged like a spark fled from a bonfire.
And like a dart, it dashed to the door,
blasting through the wood leaving behind no more
than a tiny hole
in the shape of brave wings of unpleasantry.

terça-feira, 14 de março de 2017

...


Um cofre
guarda a fortuna
de quem puder
lhe abrir os segredos.

Vem o menino
e tenta uma senha,
o cofre se abre
com imprecisão.

Vem o velho
tentar os seus números.
O cofre se abre,
com sofreguidão.

Uma fortuna
para cada
combinação.

[clic-clac-cla]

Um poema é cifrado
com uma contrassenha
para cada leitor.


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Conjuga-me


Imagem: "Quiero" por Marcos Radicella
Conjuga-me

queria eu
quisesses tu
quereres meus

quisera meus
quereres teus
quereria ainda
que em adeus

quisesses tu:
quereríamos

queiras tu
quando quiseres
que eu quero
se agora queres

queria eu
quisesses tu
a mim

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Charqueado


Charqueado

Hoje vi meu livro
numa estante pública,
pendurado feito carne
na vitrina de um açougue.

Queria eu, pingasse sangue.
Ver luzir o brilho das gorduras
    (posta exposta)

Queria ver o nervo
mais incômodo entre as fibras.
Queria o cheiro mais vermelho,
a gota mais viva
e o visco mais rico.

Sede de sebo.


Mas hoje só tem carne-seca.

A cerveja ajuda a descer.




Laura com Selenita, acho que não muito após o lançamento.