terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Xadrez³

Esse foi da última rodada do Duelo. O texto dessa rodada eu já postei e tá lá se vc quiser conferir. Logo posto algo original pra cá, mas queria deixar esse aqui tb, vai.


Xadrez³

— Não falta muito agora. Você tem certeza que é comigo que pretende passar essas últimas horas?

e4

— Obviamente eu não poderia passar com ela, poderia?

c5

— Me espanta que alguém tão sofisticado possa ter feito o que você fez.

Cf3

— Me espanta que alguém tão culta possa pensar assim, detetive. Nunca leu, Sade?

d6

— Então é isso? Para quem pretendia ser um novo marquês você está muito mais para Nabokov, doutor.

d4

— Andou perambulando pela minha biblioteca novamente, detetive? Eu aceito o peão.

cxd4

— Não me diga que realmente tudo isso foi feito apenas por uma paixão literária, uma tentativa de igualar-se a Nabokov. E eu também aceito seu presente.

Cxd4

— Ah, ah. Não, foi por uma paixão muito mais carnal. Minhas paixões intelectuais eu prefiro dividir com você. A não ser é claro que você prefira passar estas últimas horas em uma paixão... menos intelectual.

Cf6

— Eu achei que não fizesse o seu tipo. Talvez madura demais?

Cc3

— O fruto recém colhido é de fato mais suculento. Você poderia ser menos austera detetive.

a6

— E o senhor mais ponderado. Quem sabe assim não estaria aqui.

Be2

— Humpf! Você sabe que eu tenho uma queda por xadrez. Especialmente em uma saia de pregas. Acho que foi ela que me capturou primeiro.

e6

— Ela era uma menina!

0-0

— Ora, porque tão na defensiva, detetive. Eu cometi meus pecados. E agora vou pagar por eles. Eu não sou santo, detetive. E ainda que fosse, meus bispos são todos negros, não?

Be7

— Você mais do que ninguém deveria saber que as pretas só deveriam se mexer se as brancas fizessem o primeiro movimento.

f4

— Ah, mas não fui eu quem movi as primeiras peças. Foi ela. Ela e aquela saia xadrez. Foi apenas o impulso decapturar uma dama.

Dc7

— Você poderia ter parado. Você sabe que poderia. Você nunca perde controle, lembra? Não é você que ensaia cada movimento? Agora são os bispos brancos que estão atrás de você. E eles vão capturá-lo. Você deveria ter parado.

Be7

— Peça tocada, peça jogada, detetive.

0-0

— Essa é uma defesa muito pobre para um homem do seu calibre.

g4

— Calma, detetive. Esse roque ainda me ganhará o jogo. Além de proteger o rei.

Te8

— Ou aprisioná-lo?

g5

— Me diga, detetive. Qual o sabor da vingança? É verdade o que dizem? Que ela vem à cavalo?

Cfd7

— Justiça, doutor. Não é de vingança que estou atrás. Se fosse, não estaria aqui com o senhor agora.

f5

— No fundo acho que você gosta de mim, detetive.

Ce5

— O meu respeito intelectual não diminui a aversão pelos seus atos, se é o que quer saber.

Bd3

— É uma pena, detetive. Porque eu gosto de você. Quem sabe com um novo visual eu gostaria até mais. Quem sabe... uma saia xadrez?

Cbc6

— Não vejo graça, além do mais prefiro homens que não estejam presos a tais estereótipos.

Dh5

— Escolha interessante de palavras. Mas por que foge a dama?

Bd7

— Fuga? Olhe o jogo, doutor. Não sou eu que preciso fugir.

Tf4

— Espera que eu o faça?

g6

— O senhor sabe que todas as saídas estão cobertas. Eu sei que o senhor não tentaria nada estúpido. Não é do seu feitio.

Dh6

— Certamente. Dócil como um padre. Ou um bispo.

Bf8

— Essa dama não se deixa capturar tão facilmente, doutor.

Dh3

— Não adianta proteger a dama, detetive, quando o rei é fraco.

Cxd4

— Pra você é tudo um jogo, não?

Bxd4

— E os dois lados precisam caminhas pelas casas brancas e negras.

Bg7

— Você poderia escolher caminhar pelas casas certas, doutor.

Taf1

— E é você quem define quais são essas casas?

Nxd3

— Eu só garanto que as pessoas caminhem nas casas determinadas.

Bxg7

— E quem é esse rei que determina as casas, detetive?

Cxf4

— A sociedade, doutor. Não eu; não você. A sociedade.

Txf4

— Eu tenho uma novidade para você, detetive. Seu rei está em xeque.

Dc5+

— O jogo não acabou.

Rg2

— É tudo uma questão de tempo. Enquanto os peões se movem, o relógio corre.

h5

— Talvez a sociedade não seja perfeita, mas têm torres sobre as quais se erguer. Sem isso, tudo mais ruiria.

Th4

— Até as torres caem. E não se esqueça que se o rei cair, as torres caem com ele.

ef5

— Logo um padre virá vê-lo, antes que tudo termine.

Bf6

— Essa é só mais uma de suas torres em ruína. Pode dispensá-lo.

Te6

— As torres podem ser determinantes para o jogo, doutor.

Txh5

— As torres se contentam em capturam peões. Os reis caem para as damas. E parece que as suas torres já estão caindo, detetive.

gxh5

— Mas a dama continua de pé.

Qxh5

— Sim. As damas é que exigem os maiores cuidados.

Txf6

— Parece que elas é que deveriam ter cuidado com o senhor.

gxf6

— De fato eu adoro capturar uma dama.

De3

— Ela era jovem demais para ser uma dama!

Cd5

— Uma dama bem colocada sem nos coloca em xeque.

Dxe4+

— Mas um verdadeiro rei deve saber se esquivar, doutor.

Rf2

— As damas, detetive, são implacáveis. Xeque!

Dd4+

— Os reis devem ser mais.

Re1

— Mas o rei sempre cai frente a uma saia xadrez. Xeque novamente.

Te8+

— Xeque!

Ce7+

— Uma hora detetive, xeque...

Txe7

— ...

fxe7

— A dama sempre encurrala o rei. O jogo acabou.

De3+

— Não, doutor. O jogo acabou há muito tempo. Só lhe falta deitar o rei.

2 comentários:

fabioricardo disse...

de tão longo, acabou perdendo o ritmo, como foi comentado por lá. mas claro q uma partida de xadrez sempre eh demorada.

devias ter dado um pastor, sei lah.
ahahahaha

Sílvia Mendes disse...

muito bom esse texto. muito mesmo.