segunda-feira, 20 de julho de 2009

Poema Marginal

3 comentários:

Fábio Ricardo disse...

(insira um movimento de trocadilho aqui)

han? han?

(insira um sorriso espertão com uma sombrancelha levantada aqui)

costadessouza disse...

hehe muito bom. romper com a superfície tradicional do poema e tornar o manuscrito original parte da própria obra. Vale dar sequencia a esse trabalho, se também gostas.

abraço

Labes disse...

clap clap clap clap!!!

quanta poesia há no simples, não?